Você está preocupado com o que o as mudanças do E-social significam para o seu negócio? Afinal, o novo sistema de escrituração proposto pelo Governo brasileiro promete trazer grandes mudanças.

Porém, ao parar para analisar um pouco melhor quais são as mudanças, fica claro que a ideia do E-social é agregar. Afinal, o objetivo é garantir mais facilidade na transmissão das informações contábeis.

Como 2020 deve ser um ano de grandes mudanças para o E-social, e que deixa os empreendedores com dúvidas, este post vai mostrar como as mudanças do E-social podem impactar o seu negócio. Iremos ver:

  • O que muda no calendário?
  • Como simplificar o E-social?
  • As mudanças e a redução de gastos;
  • A redução da burocracia;

O que mudou no calendário?

Primeiramente, é preciso entender que houve uma mudança no calendário do E-social. Basicamente, foram prorrogados os prazos de eventos que deveriam ser enviados em janeiro de 2020. Isso inclui:

– Folha de pagamento;
– Obrigatoriedade de órgãos públicos;
– Classificação de empresas;
– SST.

Em geral, as mudanças alteraram alguns eventos para o início de 2020. É interessante se planejar para cumprir as novas datas.

Como simplificar as mudanças do E-social?

As mudanças nas datas surgiram por conta de uma reclamação muito comum das empresas e profissionais que trabalham com o E-social. Há quem reclame que o programa pede informações demais, desnecessariamente, o que vai contra o propósito da sua implementação.

Portanto, a ideia é substituir o E-social por dois outros programas que irão tornar o envio das informações ainda mais simples. Como cada programa tem um propósito claro, o objetivo é diminuir a necessidade de informações redundantes e desnecessárias.

Como reduzir custos com a substituição?

Isso apresenta uma dúvida para as empresas. Se você é pequeno empreendedor e já investiu na adequação ao E-social, o que acontece mediante as novas mudanças?

Felizmente, o Governo pensou nisso e a transição para os novos sistemas deve ser ainda mais fácil para quem já usa o e-social.

A ideia é fazer uma diferenciação entre os programas usados pelas micro e pequenas empresas, e aquele dedicado às médias e grandes. O objetivo, é adequar a quantidade de informações e a sua complexidade ao negócio.

Por isso, não se preocupe, pois as mudanças da substituição do E-social devem apenas trazer impactos positivos para seu negócio. Todo o seu esforço deve ser respeitado, e o objetivo de diminuir a burocracia parece estar sendo alcançado.

A redução da burocracia com a nova mudança

É natural que esta mudança levante uma certa suspeita nos empreendedores. Afinal, a redução da burocracia foi exatamente o que a implementação do E-social original prometeu.

Porém, o E-social original chegava a pedir cerca de 900 informações na plataforma. Um número considerado além do necessário.

A ideia dos novos dois sistemas é ter uma ferramenta que favoreça os empresários, tanto nas micro e pequenas empresas, quanto nas médias e grandes. Esta era a ideia ainda no primeiro E-social, mas houve um erro de excesso no mesmo.

No final das contas, o propósito e a implementação do e-social são positivos. Porém, basta fazer uma rápida pesquisa e fica claro que os empresários não exatamente adoraram o sistema.

O Governo aprendeu com o erro, e promete corrigir com os novos dois sistemas. Esperamos que isso seja verdade.

Quer começar a se preparar para o novo E-social e fazer a transição de forma mais tranquila? Então, entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas!